2 de janeiro de 2012

Intervenção na Assembleia Municipal de Dezembro

Exma. Sra. Presidente da Assembleia Municipal,

Exmo. Sr. Presidente,

Exmos. Srs. Vereadores,

Exmas. e Exmos Deputados Municipais,

Vimos a esta Assembleia com o objetivo de vos alertar para uma situação que consideramos preocupante, e que coloca todos os dias a fauna e flora, mas principalmente a saúde pública em causa – estamos a falar do sistema de saneamento que abrange a freguesia da Moita dos Ferreiros.

Esta situação decerto que é do conhecimento de V/Exas, pois já tem sido debatida neste plenário por diversas vezes, ao longo dos últimos anos.

De facto, muitas soluções foram já encontradas, algumas situações solucionadas, porém a realidade é que a rede de saneamento que serve esta vila e algumas aldeias da freguesia da Moita dos Ferreiros, como a MISERICÓRDIA, CASAL  MOINHO, OU CASAL DA VÁRZEA está a correr para o rio sem qualquer tipo de tratamento.

Tivemos a oportunidade de verificar que nem todas as infra estruturas estão a funcionar, nomeadamente a estação elevatória da Cantarola por falta de equipamento, e o emissor da várzea, em que parte do colector foi destruido pelo caudal do rio, e que noutras situações, falta completar algumas centenas de metros para que algumas aldeias e lugares fiquem com o seu sistema de saneamento completo, como é o caso de Casal Novo.

A Lourambi, não pode deixar de vos alertar para os enormes perigos para a saúde pública a que estas populações estão diretamente sujeitas. Todas este resíduos que desaguam nas ribeiras contaminam os lençóis freáticos, de onde os agricultores captam a agua para regar as suas culturas; culturas essas que muitos de nós consumimos. Este ciclo de poluição diária é uma realidade há muitos anos no nosso concelho, não se restringindo apenas à Freguesia da Moita dos Ferreiros.

Assim, vimos alertar-vos para um problema que, em pleno século XXI, deveria estar resolvido, e cuja resolução, consideramos que, deveria ser o objetivo nr.1 do Município. Não estamos apenas a falar em despoluir o Rio Grande. Estamos a falar em garantir qualidade de vida às gerações vindouras, estamos a falar em contribuir para uma agricultura com mais qualidade para o consumidor, estamos a falar do futuro da Lourinhã!

Bem sabemos que este é um problema antigo, e que muito tem sido feito para o resolver. Porém, é preciso não baixar os braços porque o projeto de despoluição do Rio Grande e das suas ribeiras ainda não está acabado! Acreditamos que só depois da sua conclusão será possível avaliar os verdadeiros danos de muitos anos de poluição dos nossos lençóis freáticos, mas também começar a construir um presente em que a Lourinhã e as suas gentes viverão de facto de braço dado com o Rio e com as suas potencialidades!

A Lourambi, faz votos que no próximo ano, apesar dos cortes orçamentais a que todos estamos sujeitos, o Município da Lourinhã não corte no ambiente, antes pelo contrário considere que investir no ambiente é investir num futuro melhor!

Obrigado.

Sem comentários:

page counter
Website Hit Counter